Sexta-feira, 2 de Janeiro de 2009

Declaração de Princípios, texto em discussão

Somos Olhão! está a preparar a sua Declaração de Princípios, sendo que a sua elaboração está aberta a todos os cidadãos preocupados com o exercício da CIDADANIA.

Pode contribuir para este debate deixando a sua opinião, aqui abaixo onde diz comentar.

Obrigado.

SO!

 

 

No dia 25 de Abril de 1974 instaurou-se a democracia no nosso País, que basicamente se caracterizou pela possibilidade de o cidadão votar em partidos políticos e, através deles, eleger os seus representantes em órgãos próprios, como as assembleias legislativas ou municipais, o Presidente da República ou da Câmara Municipal, etc.
Esta forma de encarar a democracia consolidou-se mas infelizmente, passado três décadas, não se aprofundou.
Ora a democracia não pode manter-se indefinidamente nos mesmos moldes, sabendo nós que esta estagnação, ao afastar os cidadãos da “política”, traduzindo-se no aumento de absentismo eleitoral e insatisfação, evoluirá certamente ou para uma solução positiva ou negativa, como a História nos ensina.
O grupo Somos Olhão pretende dar um contributo para que a democracia evolua no sentido positivo, ou seja, no sentido do aprofundamento dos direitos do cidadão, independentemente dos seus representantes eleitos.
É importante aqui clarificar que estes direitos são inalienáveis e sobrepõem-se ao voto e aos representantes eleitos democraticamente. Por exemplo, o direito à transparência da vida política não pode ser inviabilizado por a maioria decidir não querer responder a questões postas por uma pequena minoria.
Para nós, o desenvolvimento de uma democracia mede-se pela sensibilidade relativamente à defesa destes direitos inalienáveis como, por exemplo, é o direito à informação transparente.
Infelizmente, não serão os políticos que já estão inseridos na actual máquina política que irão lutar por este direito do cidadão ser informado de forma transparente sobre o que eles fazem. Terão de ser os próprios cidadãos a lutar por isso!
O grupo Somos Olhão é apenas isto: um grupo de cidadãos que em Olhão quer transparência nos actos públicos e políticos.
A esmagadora maioria dos olhanenses não conhece nem pode conhecer o que se passa nos corredores do poder autárquico. A esmagadora maioria dos olhanenses são meros instrumentos usados por estes políticos para a construção das suas carreiras.
O Somos Olhão recusa este estatuto de menoridade que este tipo de políticos dá aos olhanenses!
Não nos queremos organizar como mais um partido político para disputa de eleições, mas apenas lutar para que os cidadãos tenham o direito de conhecer de forma transparente o que os políticos fazem enquanto exercem os seus cargos.
A palavra-chave para nós é a transparência!
E só pode haver transparência quando os políticos têm também a cidadania, a boa educação e o espírito democrático de responder e esclarecer quaisquer cidadãos sobre a causa pública.
A prática de ocultação de informação aos cidadãos é a oportunidade para a corrupção e prepotência.
Ora Olhão é um exemplo do pior que a estagnação democrática nos deu nos últimos anos: os políticos que exercem cargos autárquicos ocultam sistematicamente a informação aos cidadãos, mesmo quando isto indicia corrupção e ilegalidades.
Aqueles cidadãos que em Olhão julgam ter o direito de saber o que se passa por trás dos actos públicos autárquicos e recusam ser tratados como meros instrumentos passivos deste autismo e prepotência política, devem lutar por isso.
É o que o Somos Olhão faz.
E o leitor o que faz? Se também considera que tem o direito a ser informado de forma transparente, apoie o Somos Olhão!

 

SO! às 09:51
link do post | comentar

.Junho 2010

Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3
4
5

6
7
8
9
10
11
12

13
14
15
16
17
18
19

20
21
22
23
24
25
26

27
28
29
30